Medicina | ÍNTEGRA | Urbana Branding




Medicina | ÍNTEGRA

Design e Posicionamento de Marca

TECNOLOGIA E MEDICINA: EVOLUÇÃO DA CIRURGIA RUDIMENTAR À MINIMAMENTE INVASIVA

Hoje, quando nos deparamos com processos pouco invasivos, que usam tecnologia de ponta para oferecer o melhor tratamento aos pacientes, sequer lembramos do quanto a prática da medicina já foi rudimentar.

Há menos de duzentos anos atrás, em 1841, a costura de uma artéria, na região da virilha, exigia sutura, ganchos e a compressão do abdômen, um processo extremamente doloroso para o paciente. Somente com o surgimento da anestesia, em 1846, fato que impulsionou a evolução da cirurgia, técnicas e métodos mais refinados passaram a ser adotados.

Como bem colocou o químico e estatístico inglês, William Sealy Gosset, “antes da anestesia, a cirurgia era realizada com alguns conhecimentos elementares e com a limitação imposta pela dor. Tudo que existia antes eram trevas de ignorância, sofrimento, tentativas infrutíferas na escuridão".

Na escala de aprimoramento dos procedimentos cirúrgicos, outro marco foi a descoberta do antisséptico, em 1889, que minimizava o risco de contaminação dos pacientes. Nesta época, as cirurgias eram públicas e vários observadores assistiam o procedimento. Com a ajuda da tecnologia e o surgimento dos equipamentos endoscópicos, chegamos ao minimalismo.

As incisões agora são muito menores e menos invasivas, já que usam procedimentos novos. A videolaparoscopia, por exemplo, permite aos médicos conduzirem cirurgias completas, tomando como base as imagens em vídeo, e restaurando a saúde dos pacientes com um desgaste mínimo.

A CERTEZA VEM DA TECNOLOGIA

Com o avanço da tecnologia, a medicina ganha novos recursos para ofertar aos pacientes tratamentos menos invasivos e mais assertivos. É possível fazer mais pela recuperação da saúde, com procedimentos que têm mais sutileza e eficiência. Ou seja, a tecnologia aparece como uma ferramenta que proporciona o desenvolvimento de cirurgias refinadas. Não há mais espaço para o bisturi: aos poucos, ele passa a ser substituído por outras ferramentas. A medicina do futuro, minimamente invasiva, está em construção.

“Ela pode reduzir a dor, o risco e o custo de qualquer procedimento”

O PROCEDIMENTO

Ao adotar uma perspectiva minimalista, a Íntegra é uma marca que se propõe a fazer diferente, pensando, acima de tudo, no bem-estar dos pacientes. O objetivo é atuar de maneira altamente assertiva e minimamente invasiva, preservando ao máximo as pessoas e garantindo a elas a cura. Para tanto, é possível atuar de maneira focada, intervindo somente no ponto principal durante os procedimentos cirúrgicos. Mais saúde e menos sofrimento.

formas_integra_2

O SÍMBOLO DA MARCA

Para criar a marca da Íntegra, nos apropriamos dessa perspectiva minimalista, pensando sempre na intervenção mínima. Ou seja, somente naquilo que é realmente necessário para garantir o tratamento ao paciente. As cores azul e verde foram escolhidas para representar a tecnologia e a humanidade. Já o ponto central é a pupila do olho do médico, que mantém o olhar atento à imagem da cirurgia o tempo todo.

No desenho da marca, o ponto é também o furo mínimo no corpo do paciente, que permite a intervenção cirúrgica sem dor. Em suma, o símbolo da marca representa as mãos da tecnologia e da humanidade, que, juntas, realizam a medicina minimamente invasiva.